quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

RELATO SOBRE PALESTINA-AL


Por Danielly Caldas
Na imensidão do nosso sertão há muita judiação. Tempo de seca que apresenta aos nossos olhos um cenário de desolação. Mas algo chamou-me atenção, no meio de tanta sequidão uma árvore frondosa de folhas viçosas contraria a seca e mostra que ainda há vida no sertão. Seu nome é juazeiro e não sei explicar, quanto mais o sol castiga mais vida ele tem a mostrar. Suas folhas verdes lembrou-me esperança, esperança de um povo guerreiro que apesar do sol que castiga, da água que falta, do alimento escasso e do coronelismo que impera, guerreia com fé e esperança.
Espírito guerreiro como o do menino Sandorval, menino morador do povoado Lagoa da Arara, que aos dez anos com um olhar empreendedor começou a colher caju e retirar as castanhas para vender. Com o tempo juntou dinheiro o suficiente para comprar sua primeira ovelha e desde então Sandorval só tem crescido para ajudar a sua mãe.
Espírito guerreiro do jovem músico Cicinho, morador de um assentamento , cuida dos seus três filhos exercendo o papel de pai e mãe.  Cicinho com sua voz doce e palavras sábias manifesta a glória de Deus de maneira humilde, ficaria horas  e horas ouvindo-o falar e cantar as maravilhas de Deus.
Maycon, Daminiana, Any, Pedro, Claudete, Aninha, Ivan, Edjane, Sarah, Danila, Móises, João e tantos outros. Nomes de sertanejos e sertanejas que para você talvez não fale muito, mas no meu tempo sabático tive a oportunidade de presenciar o quanto eles tem sido cuidados por meio do trabalho dos meus pais. Trabalho este que você sustenta.
Neste silencioso trabalho realizado pelos meus pais, Renilza e Emanoel, no lugar que batizei carinhosamente como, lugarzinho no meio do nada, muitos milagres tem acontecido na vida de sertanejos, sertanejas e de visitantes que por lá passam.
Assim como Gonzaga, “eu perguntei a Deus do céu, ai, por que tamanha judiação”. Não obtive resposta. Mas deixei o sertão renovada, refletindo sobre o juazeiro, para mim símbolo da esperança de um povo arretado de guerreiro.
Em 12/01/2013.