Igreja Batista do Pinheiro e rua, quase uma redundância

A Igreja Batista do Pinheiro e as ruas são conhecidas de longas datas. São tão intimas que até se confundem. Corridas, festas, passeatas, e hoje, nesse 31 de março, um encontro diferente, agora com os movimentos de resistência contra os golpes na previdência e na justiça do trabalho.  Triste coincidência, 53 anos de luto do golpe militar. Como IBP anseio desejo que minha alma em luto se transforme em corpo que luta. Luto para que mais esse luto não se estabeleça na nossa história. 
Mas nossa luta também é dança. Ciranda,  cirandada de agricultoras, sindicalistas, advogadas, juízes, estudantes todxs juntxs e a Flor de Manacá trançando o passo da IBP em um grande abraço protetor da justiça do trabalho.

Pr. Marcos Monteiro e Marcos Araújo






Postagens mais visitadas deste blog

SERMÃO DE NATAL (texto completo)